Skip to content
Optigrid Optigrid

Entenda O Que são Lentes Corretivas, Sua Função, Condições e Tipos

lentes corretivas

Descubra os diferentes tipos de lentes corretivas, incluindo as divergentes e convergentes, essenciais para corrigir problemas como miopia e hipermetropia. Saiba como essas lentes funcionam e qual a importância de cada uma para a saúde visual.

As lentes corretivas desempenham um papel fundamental na vida de milhões de pessoas ao redor do mundo, proporcionando clareza e qualidade à visão. 

Com avanços constantes na oftalmologia, entender os diferentes tipos de lentes e como elas são usadas para corrigir problemas como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia é essencial para quem busca melhorar sua saúde ocular. 

Saiba o que são lentes corretivas

Lentes corretivas são dispositivos óticos projetados para corrigir problemas de visão, proporcionando maior clareza e acuidade visual. Elas são especialmente formuladas para compensar deficiências refrativas comuns, como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia. 

Disponíveis em uma variedade de tipos e materiais, essas lentes são essenciais para melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas em todo o mundo.

Saiba também: Acuidade Visual: como é feito, quando realizar e quem deve fazer

Descubra a função dessas lentes

A principal função das lentes corretivas é ajustar a forma como a luz entra no olho, garantindo que ela se concentre corretamente na retina. 

Para pessoas com miopia, as lentes divergentes ajudam a focalizar a luz antes que ela chegue à retina, corrigindo a visão de perto. Já para quem sofre de hipermetropia, as lentes convergentes fazem o oposto, permitindo que a luz se concentre diretamente na retina para uma visão clara de objetos distantes. 

Em casos de astigmatismo, lentes cilíndricas são usadas para corrigir a distorção causada pela curvatura irregular da córnea ou do cristalino. E para a presbiopia, que afeta a capacidade de foco próximo à medida que envelhecemos, lentes multifocais são projetadas para proporcionar visão clara em diferentes distâncias.

Conheça as condições que requerem lentes corretivas

A principal função das lentes corretivas é corrigir erros refrativos, distúrbios que impedem a luz de ser focada corretamente na retina. Cada tipo de erro refrativo apresenta características distintas

Miopia

Miopia é um distúrbio ocular comum em que as pessoas têm dificuldade em enxergar claramente objetos distantes. Isso ocorre porque a luz focaliza na frente da retina em vez de diretamente sobre ela, devido a um globo ocular que é muito longo ou uma córnea excessivamente curva.

A miopia pode ser herdada e geralmente se desenvolve durante a infância e adolescência. Fatores ambientais, como atividades que exigem foco visual próximo por longos períodos, também podem desempenhar um papel no seu desenvolvimento. 

Os sintomas incluem visão embaçada ao olhar para objetos distantes, dificuldade em enxergar placas de trânsito ou quadros na escola, dores de cabeça frequentes e piscar excessivo.

Seu diagnóstico é feito através de um exame oftalmológico que pode incluir testes de acuidade visual, refração ocular e medição do comprimento axial do olho.

Suas opções de tratamento para miopia incluem o uso de óculos, lentes de contato ou cirurgias refrativas, como LASIK, que modificam a curvatura da córnea para corrigir o foco visual.

Leia também: Anatomia dos olhos: Estruturas e o Caminho da Imagem até o Cérebro

Hipermetropia

Hipermetropia

Hipermetropia é uma condição em que os objetos próximos são vistos claramente, mas os objetos distantes parecem embaçados. Isso ocorre porque a luz focaliza atrás da retina, geralmente devido a um globo ocular curto ou uma córnea que é muito plana.

A hipermetropia pode ser causada por um globo ocular curto ou uma córnea com uma curvatura muito plana. À medida que envelhecemos, a capacidade do olho de focar em objetos próximos pode diminuir, resultando em hipermetropia.

Os sintomas incluem visão embaçada ao ler ou realizar atividades de perto, dores de cabeça frequentes e fadiga ocular. O diagnóstico é semelhante ao da miopia e geralmente envolve testes de acuidade visual e refração ocular.

Os tratamentos para hipermetropia incluem o uso de óculos, lentes de contato ou cirurgias refrativas, como PRK ou implante de lentes intraoculares. A hipermetropia pode causar dificuldades em tarefas que exigem visão de perto, como leitura e trabalho em computadores.

Astigmatismo

Astigmatismo é uma condição em que a córnea ou o cristalino do olho apresenta uma forma irregular. Isso leva a visão distorcida tanto de objetos próximos quanto distantes.O astigmatismo pode ser causado por uma curvatura irregular da córnea ou, menos frequentemente, pela forma irregular do cristalino dentro do olho. 

Os sintomas incluem visão borrada, distorção ou duplicação das imagens e dificuldade em dirigir à noite. Seu diagnóstico de astigmatismo também é feito por meio de exames oftalmológicos que incluem a refração ocular e a medição da curvatura corneana.

Os tratamentos para astigmatismo incluem o uso de óculos, lentes de contato tóricas ou cirurgias refrativas, como LASIK ou PRK, para remodelar a córnea e corrigir a distorção visual.

Presbiopia

Presbiopia é uma condição ocular relacionada à idade em que a capacidade do olho de focar objetos próximos diminui progressivamente. Isso ocorre devido à perda de elasticidade do cristalino dentro do olho.

A presbiopia é causada pelo envelhecimento natural do olho, que leva à diminuição da flexibilidade do cristalino e dificuldade em focar em objetos próximos.

Os sintomas incluem dificuldade em ler de perto, necessidade de afastar o texto para focar melhor e fadiga ocular ao realizar tarefas próximas por longos períodos.

O diagnóstico de presbiopia também é feito por exames oftalmológicos que avaliam a capacidade de foco próximo do olho. Os tratamentos para presbiopia incluem o uso de óculos de leitura, lentes bifocais ou multifocais, que oferecem correção para visão de perto e distância.

Veja os tipos de lentes corretivas

Lentes Divergentes

As lentes corretivas desempenham um papel importante na correção de problemas de visão, como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia. 

Elas são projetadas para ajustar a forma como a luz entra no olho, garantindo que ela se concentre corretamente na retina para uma visão clara e nítida. Entre os tipos mais comuns de lentes corretivas estão as lentes divergentes e as lentes convergentes, cada uma projetada para corrigir um tipo específico de problema refrativo.

Lentes Divergentes

As lentes divergentes são usadas para corrigir a miopia, uma condição em que os objetos distantes aparecem embaçados. Elas são mais finas no centro e mais espessas nas bordas, o que faz com que a luz divergente (que se afasta do eixo principal) seja direcionada para a retina de maneira correta, melhorando assim a visão de longe.

Quando uma pessoa míope usa lentes divergentes, a luz que entra no olho é espalhada de modo que, ao chegar à retina, forme uma imagem clara. Isso compensa o defeito óptico do olho míope, onde a luz focaliza antes de atingir a retina.

Lentes divergentes são frequentemente prescritas para pessoas que têm dificuldade em enxergar objetos distantes claramente, como placas de trânsito ou quadros em salas de aula.

Lentes Convergentes

Lentes convergentes são usadas para corrigir a hipermetropia, uma condição na qual os objetos próximos parecem embaçados. Elas são mais espessas no centro e mais finas nas bordas, o que permite que a luz convergente (que converge em direção ao eixo principal) se concentre corretamente na retina, melhorando assim a visão de perto.

Para uma pessoa com hipermetropia, as lentes convergentes ajudam a focalizar a luz que entra no olho de modo que, ao alcançar a retina, forme uma imagem clara de objetos próximos. Isso compensa o defeito óptico do olho hipermetrope, onde a luz focaliza atrás da retina.

Lentes convergentes são prescritas para pessoas que têm dificuldade em enxergar de perto claramente, como ao ler um livro ou trabalhar em um computador.